CONTATO  
      QUEM SOMOS

INSTITUTO CENTRAL DE CIDADANIA (ICEC) é uma Organização Não-governamental - sem fins lucrativos - criada com o objetivo principal de desenvolver e apoiar iniciativas que possibilitem a melhoria da qualidade de vida de pessoas que integram grupos sociais menos favorecidos. A Entidade se dedica muito especialmente às crianças e jovens carentes, abrindo oportunidades de emancipação social com ações voltadas para a Educação e Qualificação Profissional.

 NOSSA HISTÓRIA 

Criada oficialmente em 2003, a CENTRAL DE CIDADANIA é a concretização do ideal de um grupo de jovens profissionais como professores, pedagogos, administradores, jornalistas, etc - a maioria nascidos numa das regiões mais pobres do Brasil: o Sertão do Nordeste. 

A luta contra a seca, a batalha pela sobrevivência - a história real de cada um desses jovens, que conviveram com as dificuldades de uma vida de privações, e que somente através do acesso à educação conseguiram quebrar o ciclo de miséria que acomete a maior parte da população do semi-árido brasileiro - foi o principal e legítimo ponto de partida para a idealização e criação do INSTITUTO CENTRAL DE CIDADANIA.

Como outros brasileiros oriundos das camadas menos favorecidas, os fundadores do ICEC comprovaram que somente a oportunidade de formação educacional – aliada à uma sólida base familiar - é capaz de abrir novos horizontes para meninos e meninas pobres de qualquer região do Brasil. A CENTRAL DE CIDADANIA foi idealizada para colaborar efetivamente neste sentido: abrir oportunidades para quem sonha com uma vida melhor.

A Central de Cidadania é mantida com doações de seus associados e colaboradores, e através de parcerias com pequenas empresas e outras organizações da Sociedade Civil.

 NOSSA CRENÇA

O INSTITUTO CENTRAL DE CIDADANIA não tem vínculos nem segue doutrinas religiosas ou político-partidárias. A Instituição é dirigida por um Conselho de Administração, composto por pessoas com longa experiência e formação especiliazada no Terceiro Setor. Os Diretores da ONG não são remunerados, exercem suas atividades como voluntários.

Para o ICEC, o conceito de “cidadania” se estende muito além da concepção formal da palavra, geralmente restrita aos direitos básicos do indivíduo. Mais que um coletivo de direitos civis, para o ICEC, CIDADANIA é um conjunto de valores capaz de garantir ao Ser Humano sua DIGNIDADE, de um modo integral. Dignidade Moral e Ética, Dignidade Material e Espiritual. Este conceito de cidadania firma-se em bases sólidas, em valores universais como: Solidariedade, Paz, Ética, Verdade e Justiça.

Com a finalidade de marcar bem a diferença entre tais idéias, optamos pelo termo “Cidadania Solidária”. Neste sentido, ser CIDADÃO é participar ativamente da construção de uma sociedade mais Justa e Solidária, em que o indivíduo busca o cumprimento dos seus direitos e deveres essenciais e, principalmente, tem consciência e assume seu compromisso com os ideais de Responsabilidade Social e senso de coletividade. Como nunca, a expressão “Aldeia Global” se faz tão verdadeira em nossas vidas.

Desta forma, mais que a concretização de programas sociais, o INSTITUTO CENTRAL DE CIDADANIA trabalha pela formação de uma nova consciência social, em que os Nobres Valores Humanos sejam tomados como referência Ética para esta e as futuras gerações, independentemente de suas convicções religiosas, políticas ou tradições culturais. Ou seja, ser CIDADÃO é muito mais que exercer direitos individuais: é fazer sua parte na construção de uma sociedade melhor.

 

  EDUCAÇÃO 

A ação social da Central de Cidadania fundamenta-se especialmente no esforço para melhorar as condições de aproveitamento e acesso à Educação de crianças carentes, com foco no combate e prevenção à exploração de mão-de-obra infanto-juvenil, e na complementação educacional.

Se no passado recente a meta era colocar todas as crianças na escola, agora o desafio dos Governos, da Sociedade Civil e das Organizações Não-governamentais é oferecer cada vez mais um ensino de qualidade, sobretudo aos estudantes pobres, sem lhes tirar o direito à questões básicas como alimentação digna, respeito e oportunidade de uma vida melhor.

Sobre este ponto, destaca-se o Projeto Pé na Escola, criado pela Central de Cidadania com a finalidade de matricular e manter na escola crianças com idades entre cinco e doze anos. A proposta do projeto é garantir que os alunos estejam envolvidos em atividades educacionais em tempo integral: meio período na escola pública, e o restante do tempo na sede da Central de Cidadania, onde participam de atividades recreativas e de complementação dos estudos.

O programa conta também com a participação dos pais, que recebem auxílio material da Central de Cidadania na forma de um Seguro Alimentação – alimentos não perecíveis -, com a responsabilidade de fazer os filhos cumprirem as contra-partidas sociais exigidas pelo Projeto Pé na Escola, como: frequentar pelo menos 90% das aulas e não ser reprovado.

O Projeto Pé na Escola é realizado hoje – seguindo características locais – em cidades como: Duque de Caxias (Rio de Janeiro) e em Salvador, Feira de Santana, Camaçari e Central, (no Estado da Bahia).

Qualificação profissional

O desemprego é um dos maiores desafios dos governos em todo o mundo. Com a globalização e, consequente, mecanização da mão-de-obra, a inserção no mercado de trabalho fica cada vez mais difícil para milhões de pessoas.

Além das características atuais do mercado contemporâneo, um dos maiores problemas enfrentados pelos brasileiros é a falta de qualificação técnica. Cidadãos que, na maioria dos casos, foram obrigados logo cedo a trabalhar pela sobrevivência, abrindo mão de uma formação profissional.

Deste modo, além de auxiliar na educação formal, outro foco de trabalho da CENTRAL DE CIDADANIA está no empenho em beneficiar jovens e adultos em situação de pobreza, sobretudo os pais e familiares das crianças cadastrados em seus programas sócio-educacionais. Para alcançar este objetivo, são realizados gratuitamente cursos e atividades de qualificação e de geração de renda. Paralelo a isto, são implementadas atividades ligadas à arte, cultura e ao esporte, como ferramentas de inclusão social. Atualmente, centenas de pessoas participam de cursos e treinamentos de qualificação profissional e de geração de renda nas áreas de informática, artesanato, corte e costura e gastronomia nas unidades mantidas pelo Instituto Central de Cidadania pelo Brasil.